Haute Couture Hits: Dior Spring 2020

“What if women roled the world?”. A pergunta já nos dava a entender que Maria Grazia Chiuri, diretora criativa da Dior, ia trazer mais uma das suas revoluções feministas para a passarela. Revoluções porque ela é do tipo de criadora que desenvolve uma coleção pensando na mulher contemporânea e nos seus desafios.

Para o Spring Summer 2020, ela trouxe a artista feminista @Judy.Chicago, que foi a responsável pelos painéis levantando sobre uma série de questões, entre eles a violência. Cada um deles foi bordado por garotas de uma escola na Índia apoiada pela maison francesa.

gora, falando sobre as roupas, Maria Grazia trouxe o que mais sabe fazer: hits! A abertura foi a modelo queridinha de Chiuri, Ruth Bell, a bordo de um vestido dourado coberto por franjas, já entregando uma inspiração grega. Na sequência, um conjunto prata. Por aí, já era de se esperar que a passarela mostrasse peças vaporosas e marcantes que, além da cartela metalizada, contou com detalhes como o shape peplum, camadas, plissados, sobreposições, franzidos e uma brincadeira de transparências que está sempre presente nas coleções da Dior.

Trend Hits: Headscarf

É incrível como a memória afetiva nos mantém conectados com o passado – deixa com a gente momentos, imagens e elementos que, aos serem trazidos para o presente, têm um impacto tão positivo em nossa vida. Enquanto estive de férias, recarregando as energias na Bahia, me inspirei nas faixas e lenços muito usados por minha mãe, Maria Alice, nas décadas de 60 e 70. Cresci indo à praia com ela, sempre vendo os headscarves que não saiam de sua cabeça. Durante a viagem, mergulhei nessa referência vintage com lenços Hermès e Pucci e fiquei muito feliz com o resultado!

Há algumas temporadas, esse elemento que carrega um perfume dos anos 60 tem ensaiado seu retorno, dando as caras nas passarelas de marcas como Kate Spade New York, JW Anderson e Pyer Moss. Modernizados, os lenço vêm com diferentes aplicações, estampas contemporâneas e formas de vestir que mesclam referências de outras culturas. Resultando em looks que trazem este elemento tão característico do passado revestido de contemporaneidade.

A tendência é a cara do verão. Na praia, protege os cabelos e enche de charme os looks para curtir a natureza, na cidade traz ainda mais cor para as produções, injetando vida os looks para os meses mais quentes do ano. Uma tendência chique, que carrega muita história e é perfeita para adotar já!

Spring/Summer 2020: Pantone Colour Palette

Além das próprias semanas de moda, que vêm carregadas de novidades, desejos e surpresas, as fashionistas têm outra grande espera ao longo do ano – no caso, a escolha das tonalidades “do ano” eleitas pela Pantone. O instituto, que é conhecido por sua expertise e influência no quesito cor, mostrou que as opções da vez trazem um certo ar de conforto, elegância e versatilidade. Ou seja, é provável que você já tenha peças dentro de alguma destas propostas e precise apenas tirá-las do guarda-roupa.

No caso da Cuban Sand, o tom areia traz um efeito corado, com aquela sensação de calor e acolhimento. Durante a temporada internacional de Verão 2020, grifes como a Deveaux, Boss e Rejina Pyo trouxeram a cor com suas devidas variações – do amarelado ao rosado – em full looks sofisticados e com uma boa dose de modernidade. Repare também como o tom serve também como aliado para estéticas minimalistas, utilitárias ou românticas. 

O Blueberry, que representa o “azul da meia-noite”, surge como uma alternativa para variar o marinho. Na Deveaux, o vestido com recortes laterais deu elegância e alta dose de feminilidade ao visual monocromático. Com direito a transparências, tanto a Osman quanto a Richard Quinn exploraram o efeito para dar um toque de mistério à produção. Na primeira, o poá (também em azul) em todo o modelo assimétrico. Para um contraste cool com o rosa clarinha, Victoria Beckham trouxe o tom para as peças de alfaiataria, sendo o blazer estampado com risca de giz e e saia com tonalidade lisa.

Um cinza refinado e com certo perfume futurista. O Oyster Mushroom dá o ar das graças com sua nuance claríssima, indo do cinza suave ao quase off-white. E, no quesito estilo, ele vai do utilitário, como visto na Sportmax, ao oriental da Huishan Zhang, passando pela criação lúdica de JW Anderson e o esportivo-chique da Emporio Armani. Uma transição de estéticas que mostra a alta voltagem de versatilidade.